segunda-feira, junho 13, 2005

Resolução de exercícios da aula 4

Resolução de exercícios da aula 4



Dinâmica local 1
Caso Plastick

Uma empresa fabricante de plásticos, chamada Plastik, vem considerando a hipótese de entrar no ramo de fabricação de mouses para computadores. Ela acredita que pode fazer mouses coloridos que, praticamente, não existem no mercado, e que poderá explorar esse segmento de mercado durante algum tempo, enquanto os concorrentes não entrem na disputa. A empresa decidiu, então, encomendar uma pesquisa que confirmou a existência do mercado que ainda não estava explorado. O custo da pesquisa foi de R$ 150.000,00. A empresa teve a idéia de utilizar como fábrica um galpão existente da empresa que hoje está ocioso. O galpão será utilizado para a instalação de novos equipamentos cujo total do investimento é de R$ 105.000,00. A pesquisa apontou que a exploração desse segmento de mercado só seria interessante durante um período de cinco anos, a partir do qual, provavelmente, a concorrência se tornaria muito acirrada. A diretoria da empresa decidiu ,então, estudar a viabilidade do projeto pelo prazo de cinco anos, deixando para depois a análise da possibilidade de se continuar com a exploração do segmento após esse período.
Alguns dados que foram coletados para a análise foram os seguintes:
O valor de revenda dos equipamentos ao final de cinco anos é estimado em R$ 80.000,00;
A produção anual estimada, em unidades, durante o período de cinco anos é de 5.000; 7.000; 11.000; 13.000 e 8.000. Considere que toda a produção estará sendo vendida à vista;
O preço estimado dos mouses no primeiro ano é de R$ 30 por unidade;
Devido ao fato de o mercado ser muito competitivo, calcula-se que o preço será reajustado com a inflação que está estimada em 4%a.a;
Espera-se que os custos de produção unitários aumentem em um percentual de aproximadamente 10%a.a.;
Os custos de produção unitários para o primeiro ano estão estimados em R$ 10,00;
Os administradores estimam que o volume de Capital Circulante Líquido necessário deverá ser da ordem de 12% do volume de vendas;
A depreciação dos equipamentos é feita em 10 anos pelo método da linha reta;
O galpão tem um preço de mercado da ordem de R$ 120.000,00 que deve permanecer inalterado nos próximos cinco anos;
A empresa está submetida a uma alíquota de imposto de renda da ordem de 40%, considerado o imposto de renda como sendo pago no mesmo ano em que é devido.

· Você deve seguir o seguinte roteiro para a solução
(a) Determine o Fluxo de Caixa consolidado de todas as receitas do projeto;
· A questão da pesquisa
A primeira dúvida que você deve ter no caso Plastik, é se o custo da pesquisa deve ser, ou não, levado em conta quando você for analisar o projeto. A resposta é: não deve ser levado em conta. O motivo encontra suas raízes em um importante pressuposto para a análise de projetos: Qualquer dinheiro que já tenha sido gasto é irrelevante para a análise do valor do projeto. Isto decorre de um outro conceito financeiro, segundo o qual só se deve levar em conta no projeto aquilo que se modifica para a empresa executora do projeto em função da existência do mesmo. Observe que se o projeto for realizado, ou não, da mesma forma o dinheiro da pesquisa já terá sido gasto. Assim, o gasto com a pesquisa não pode ser atribuído à decisão de fazer o projeto, uma vez que essa decisão em nada alterará o gasto.
· O fluxo de caixa das receitas do projeto
Observe a planilha a seguir. Nela, as receitas de vendas são calculadas através da multiplicação da quantidade pelo preço. O preço é reajustado à taxa de inflação, enquanto os custos do projeto aumentam bem mais do que a inflação, à taxa de 10% ao ano. A impossibilidade de fazer os preços acompanharem os custos é um dos motivos que a diretoria está considerando análise para um período de apenas cinco anos. Na planilha também são apresentados a necessidade de capital circulante líquido, ano a ano, e o custo do projeto.



Dinâmica local 2

(b) Determine o Fluxo de Caixa consolidado de todos os custos operacionais;
(c) Determine o Fluxo de Caixa consolidado dos investimentos em ativos necessários para o projeto. Considere que os investimentos são todos feitos na data zero. Ao final do projeto haverá desinvestimentos, com a venda dos ativos;
(d) Determine o Fluxo de Caixa do Imposto de Renda através da montagem da DRE;

· fluxo de caixa dos custos do projeto


· Os fluxos de caixa dos investimentos em ativos
Outro ponto importante que você deve notar é o fato de que o galpão precisa ser considerado como investimento, mesmo ele já pertencendo à empresa. Qual o motivo? Como o galpão está ocioso, pode ser vendido e transformado em recursos para a empresa. Assim, ao utilizar o galpão a empresa estará utilizando um recurso que está à sua disposição. Investir nada mais é do que aprisionar determinado recurso a determinado projeto. A empresa estará investindo este valor no projeto, pois o galpão não poderá mais ser vendido, ficando aprisionado ao projeto. O pressuposto que deve ser sempre seguido é o seguinte: nenhum projeto pode utilizar um recurso da empresa, que esteja ocioso, de graça, se este recurso possui valor de mercado. Assim, tudo deverá se passar como se a empresa estivesse investindo no projeto o correspondente ao seu valor de mercado R$120.000 e estivesse vendendo o mesmo ao final do projeto.
No caso do fluxo de caixa dos equipamentos, o que deve surpreender você no quinto ano é o valor de R$69.000 ao invés de R$80.000. O valor de R$69.000, que aparece na data 5, corresponde ao valor da venda do equipamento, menos o imposto de renda pago pelo fato de haver um ganho de capital na venda. Este ganho de capital será a diferença entre o preço de venda, R$80.000, e o chamado valor contábil. O valor contábil, por sua vez, será igual ao valor de aquisição de R$105.000 menos a depreciação acumulada de R$52.500. Assim, o valor contábil será de R$52.500 e o ganho de capital: R$80.000-R$52.500 = R$27.500. O imposto de renda a ser pago é de 40% sobre o ganho de capital, atingindo o valor de R$11.000. Portanto, o valor líquido recebido pelos equipamentos será de R$80.000 – R$11.000 = R$69.000. Abaixo, você verá também a tabela da depreciação acumulada dos equipamentos:

· Fluxo de caixa dos investimentos em capital circulante líquido – CCL
O capital circulante líquido é um capital que a empresa precisa manter à disposição do projeto para atender-lhe necessidades de recursos, como a manutenção de um valor mínimo de caixa e eventuais estoques, uma vez que se está considerando neste caso que todas as vendas são feitas à vista. Lembre-se que na primeira planilha apresentada já se havia calculado os valores de capital circulante líquido que são necessários para o projeto ano a ano. O investimento em capital circulante líquido a cada ano será a diferença da necessidade de CCL de um ano para outro. Tal se dá pelo fato de que no modelo aqui proposto considerou-se que o CCL não se perde, mesmo sabendo que na vida real alguma perda – por exemplo: perdas com estoque – existe.
Outro problema decorre da modelagem de fluxos de caixa. Costuma-se considerar na data cinco, por exemplo, todos os valores acumulados ao longo do quinto ano. Isso é possível para todos os anos, mas não o é no caso particular da data cinco. A data cinco representa dois significados no projeto: os valores do último ano e também a data de fim do próprio projeto. Ora, ao final de um projeto, no seu último momento, a necessidade efetiva de CCL será sempre zero. Assim, no modelo a seguir zerou-se a necessidade de CCL na data cinco. Por conservadorismo, também se costuma, apenas no caso da data zero, antecipar para ela a necessidade de CCL do projeto. Assim fazendo se está sendo conservador, aumentando o custo financeiro do projeto. As necessidades de CCL e o conseqüente fluxo de caixa do investimento em CCL ficarão ,então, sendo conforme a seguir onde em todos os anos valores são investidos, exceto no ano 1 pelo investimento haver sido antecipado para a data zero, e no ano 5 quando diante do fim do projeto a empresa faz todo o desinvestimento do CCL alocado.


· Fluxo de caixa do imposto de renda
Para determinação do fluxo de caixa do imposto de renda você precisará fazer uma demonstração do resultado do exercício. Neste caso, você deverá considerar que a depreciação é uma despesa, embora ela não represente uma saída de caixa. Na demonstração do resultado do exercício que se segue você pode observar que o lucro líquido foi calculado. Na verdade, para a finalidade desejada, não haveria necessidade do cálculo deste lucro. Bastaria você levar a planilha até o ponto onde o imposto de renda a ser pago - e que aqui consideramos como pago no mesmo ano - é calculado. Na planilha que segue, a expressão LAJIR é usada para designar o Lucro Antes dos Juros e o Imposto de Renda. A coluna da data zero visa apenas facilitar a orientação na consolidação final dos fluxos de caixa, embora deva ficar claro que a planilha a seguir é contábil.



Dinâmica local 3

(e) Consolide, finalmente, o Fluxo de Caixa Livre do Projeto;
(f) Desconte o Fluxo de Caixa do Projeto ao custo de capital estimado de 20% ao ano;
(g) Elabore as conclusões.

· Consolidação do fluxo de caixa livre do projeto
Fluxo de caixa livre de um projeto é aquele que está pronto para ser oferecido aos fornecedores de capital da empresa, isto é, ao capital de terceiros para o pagamento das dívidas dos que adquirem títulos de dívida da empresa – empréstimos e debêntures, por exemplo – e aos fornecedores de capital próprio da empresa que são seus acionistas. A planilha a seguir apresenta essa consolidação.

· Conclusões
O Valor Presente Líquido, VPL, de um projeto é definido como sendo o valor do projeto menos o seu investimento inicial. Você pode, portanto, concluir que o valor deste projeto é de R$392.583 e seu investimento inicial é de R$243.000. Portanto, o VPL deste projeto será de R$392.583 – R$243.000 = R$149.583. A interpretação do VPL do projeto mostra que ele remunera a empresa ao custo de oportunidade de capital de 20% ao ano e lhe cria uma riqueza adicional de R$149.583 e, por conseguinte, deve ser executado.
A avaliação de qualquer projeto necessita as etapas aqui abordadas. As únicas diferenças serão de volume de dados, tornando as planilhas maiores. Do ponto de vista conceitual, o exemplo aborda todas as questões relevantes a serem consideradas na análise do projeto. É curioso observar que a decisão precipitada de fazer a pesquisa levou a empresa a despender R$150.000 em uma data no passado. E o projeto não será capaz de gerar os mesmos R$150.000. No entanto, a decisão correta da empresa de fazê-lo permitirá que ela obtenha uma riqueza que amortizará o custo da pesquisa, embora não integralmente. Se o custo da pesquisa houvesse sido colocado no investimento inicial, o que se viu ser conceitualmente errado, se teria um investimento inicial de R$243.000 + R$150.000 = R$393.000, o que faria o VPL ser negativo e levaria a empresa à decisão de não fazer o projeto e assim não ter como amortizar o custo da pesquisa.